terça-feira, 8 de setembro de 2009

Ministério Público denuncia quadrilha presa na Operação Tempestade no Varal e envolvidos devem responder processo preso

A Justiça acolheu denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em Campos (RJ) e decretou a prisão preventiva de 17 integrantes da quadrilha presa na Operação Tempestade no Varal, no último dia 3. Os denunciados exploravam caça-níqueis na região e tiveram a prisão preventiva decretada pela 2ª Vara Federal de Campos dois deles continuam foragidos visando a garantia da ordem e o trâmite regular do processo. A denúncia foi oferecida pelo procurador da República Eduardo Santos de Oliveira.
Os 17 denunciados vão responder por formação de quadrilha, contrabando (referente a componentes estrangeiros usados nas máquinas), crime contra a economia popular (art. 2 da lei nº 1.521/51) e exploração de jogos de azar em lugar público (art. 50 da lei das contravenções penais). Com o recebimento da denúncia pela Justiça, começa a tramitar o processo, em que os réus têm dez dias para começar a defender-se. Os caça-níqueis retidos já tiveram sua destruição ordenada judicialmente.
"Mesmo sabendo que poderia ser alvo de operações policiais, a quadrilha, por meio dos integrantes ora denunciados, continuaram as atividades ilícitas, na certeza de que poderiam negociar sua continuidade mediante o pagamento de propinas", declarou o procurador Eduardo Santos de Oliveira no pedido das prisões preventivas.
Os denunciados pelo MPF são: Almir Luis Frutuoso da Silva; Marcos Darlan de Andrade Silva; Aridelson Barreto da Silva; Douglas da Silva Sales; Carlos Eduardo de Oliveira Ferreira; Alexandre Pereira Manhães Neto; Jocivaldo do Espirito Santo Lima; Jorge Ramos de Mello; Priscila Martins Delgado; Marco Tulio Rocha; Antonio Carlos Martins; Wanderson Correa Martins; Roberto Bueri Wazen Junior; Manoel Humberto Campos Ladeira Junior; Vitor Passarinho de Souza; Jorge Luiz Ferreira; e Denanci Gonçalves Filho.
As investigações do MPF e da Polícia Federal começaram com uma denúncia anônima ao MPF sobre o funcionamento de caça-níqueis no Jockey Club de Campos. Mesmo não tendo sido encontradas máquinas no Jockey Club, foi identificada uma quadrilha altamente organizada explorando jogos de azar.

Um comentário:

luci disse...
Este comentário foi removido pelo autor.